Return to site

Histórias de empreendedores que falharam, mas alcançaram o sucesso

“Errar é humano”.

Uma frase dessas é dita todos os dias por diversos motivos. Erramos por impulso, pré-conceitos, desespero, raiva, antecipação e várias outros sentimentos que podem colocar em cheque o nosso negócio. Ou derrubar o nosso rei de vez.

Mas, da mesma forma que que podemos apanhar e até perder a nossa empresa, precisamos saber se recompor, levantar, tirar a poeira e começar a andar novamente.

Antes de qualquer coisa, não fique se culpando, pois isso apenas te afundará. Sabemos que a culpa pode ser inteiramente sua, ou dividida entre sócios e parceiros, mas se martirizar não vai trazer a sua empresa de volta. Desvia suas forças da tristeza para arregaçar as mangas e reconstruir o seu trabalho.

“Se o negócio quebra, começa de novo”

Afirmou Wilson Poit em entrevista ao Endeavor. sobre a sua carreira. Após trabalhar como engenheiro, ele montou seu primeiro empreendimento, uma loja de materiais elétricos, que não deu certo. Em seguida, teve uma transportadora que não ficou muito tempo, um sítio que não rendia e na quinta vez, montou a Poit Energia, especializado em fornecer um serviço de aluguel de geradores com toda a produção necessária. Atualmente, a empresa foi vendida para a Agrekko, por R$404 milhões.

“Perder é um grande aprendizado, né? Perder… é...Uau...você vê o seu limite, você vê até onde pode ir”, afirma o empresário Alencar de Carvalho, co-fundador da Gera, empresa de tecnologia para venda direta. A sua maior dificuldade foi o dinheiro, que acabou após investir no seu negócio. Zerou, não tinha nada e sem clientes, sem renda futura. Até que numa segunda-feira, quando já tinha perdido os pontos, ele e seu sócio Fabio Piastrelli assinaram com seu primeiro cliente. “Quando vi que tinha caído oito mil reais na conta, eu pensei ‘Ufa!’, estamos no jogo de novo”. Hoje a Gera emite 270 notas fiscais diariamente e fatura alguns bilhões de reais dos seus clientes.

José Rizzo, fundador da Pollux, empresa de automação empresarial, se viu numa das piores situações que um empreendedor pode fazer: demitir pessoas, no caso 60 colaboradores. Contando com pesar nos olhos, ele descreve o período em que a empresa começou seu crescimento, estagnou e previu a quebra do seu negócio se não realizasse aquelas demissões. Atualmente, ele possui 140 no seu time e crescimento anual de 95%. Mas o caminho não foi fácil. Acompanhe abaixo:

Essas histórias se cruzam no triste momento em que você sente a ameaça do seu sonho deixar de existir e ver a essência do seu trabalho ir embora. Mas se estiver com o perigo iminente. ou se já ocorreu, veja que não adianta se lamentar e sim, retomar o seu caminho. Pois, se não percebeu. Todas terminaram com um final feliz, mas porque eles fizeram esse final acontecer.

Mas, temos alguns apoiadores que podem auxiliar como o Sebrae, que pode instruir o caminho mais viável para o seu empreendimento, através de consultas, cursos e avaliações, além da modalidade coworking, que estrutura e assessora a sua empresa, fornecendo espaço e condições de trabalho para você evoluir. Caso não saiba como cada um pode te ajudar, é só clicar nos botões abaixo e se informar.

Caiu? Faça como os bebês. Levanta, limpa as calças, dá um sorriso e continue a andar.

Por Rafael Rodrigues

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly